Syerra Construtora

Financiamento

Pesquisar Imóvel:

Com a Construtora

Para facilitar a compra do seu imóvel, a SYERRA possibilita o financiamento parcial do mesmo durante a obra, até à entrega das chaves, com prestações mensais, atualizadas mensalmente pelo INCC - Índice Nacional de Custo de Construção. O remanescente deverá ser pago por recursos próprios ou financiamento bancário.

 

Com o Banco

O recurso ao financiamento bancário pode ser feito dirigindo-se ao seu banco e solicitar uma simulação, ou fazê-la nos simuladores abaixo*:

 

Caixa Econômica

Banco do Brasil

Bradesco

Itaú

Banco Santander

*A SYERRA CONSTRUTORA não se responsabiliza pelos valores da simulação.

 

Utilizando Subsídios do Governo

O financiamento do seu imóvel pode ser feito, entre outros meios, recorrendo a facilidades dadas pelo Governo Federal, como o recurso ao FGTS e ao programa Minha Casa Minha Vida.

 

Veja abaixo o que são e como funcionam:

 

 

FGTS

 

RECURSOS DO FGTS

 

Modalidades

 

Os recursos da conta vinculada do FGTS podem ser utilizados nas seguintes operações:

 

Na aquisição de imóvel residencial urbano concluído:

• Pagamento parcial ou total do preço de aquisição do imóvel;

• Pagamento de lance na obtenção da Carta de Crédito ou como complementação do valor da Carta de Crédito para pagamento da parcela de recursos próprios, quando o consorciado permanecer com saldo devedor na Administradora de Consórcio devidamente habilitada pelo BACEN a operar com "Consórcio de Imóveis".

 

Na construção de imóvel residencial urbano:

• Financiamento da construção de imóvel residencial urbano;

• Como parte ou valor total dos recursos próprios do proponente. A operação é realizada somente se for vinculada a um financiamento ou a um programa de autofinanciamento contratado com Construtora, Cooperativa Habitacional, Administradora de Consórcio Imobiliário ou Construtor pessoa física.

 

Limites de utilização do FGTS

 

1. Na aquisição de imóvel residencial concluído - O valor do FGTS, acrescido do financiamento/autofinanciamento ou da Carta de Crédito do consórcio, quando houver, não pode exceder ao menor dos seguintes valores:

• Valor da avaliação efetuada pela CAIXA;

• Valor de compra e venda.

 

2. Na construção de imóvel residencial - O valor do FGTS, acrescido da(s) parcela(s) do financiamento/autofinanciamento ou da Carta de Crédito do consórcio, quando houver, não pode exceder ao menor dos seguintes valores:

• Valor da avaliação efetuada pela CAIXA;

• Valor de compra e venda, ou custo total da obra;

• Somatório dos valores das etapas do cronograma físico-financeiro.

 

Condições básicas

 

Do titular da conta vinculada do FGTS

Não estar em processo de compra ou ser proprietário de imóvel residencial, concluído ou em construção, financiado pelo SFH, em qualquer parte do território nacional.

Não estar em processo de compra ou ser proprietário de imóvel residencial concluído ou em construção:

• No município onde exerça sua ocupação principal, nos municípios vizinhos e na região metropolitana;

• No atual município de residência.

• Comprovar tempo de trabalho mínimo de três anos sob regime do FGTS.

 

Do imóvel

• Ter valor de avaliação na data da contratação de até R$ 500.000,00;

• Ser residencial urbano;

• Apresentar, na data da avaliação, plenas condições de habitabilidade e ausência de vícios de construção;

• Não ter sido objeto de utilização do FGTS em aquisição anterior ou liberação da última parcela de construção há menos de três anos;

• Estar devidamente matriculado no Cartório de Registro de Imóveis responsável pela sua região.

 

Impedimentos

 

Não é permitido o uso dos recursos da conta vinculada do FGTS nas seguintes operações:

• Nova utilização para aquisição do mesmo imóvel, antes de completados três anos desde a última utilização para aquisição/construção;

• Aquisição/construção de imóvel comercial;

• Reforma, ampliação e/ou melhoria de imóvel residencial ou comercial;

• Realização de infra-estrutura interna;

• Aquisição de lotes e terrenos;

• Aquisição de moradia para familiares, dependentes ou terceiros.

 

Como utilizar

 

Compareça a uma agência da CAIXA para receber orientação sobre condições, documentos e formulários necessários conforme a modalidade pretendida.

Condições excepcionais quanto à propriedade de imóvel residencial urbano

Também podem utilizar os recursos da conta vinculada do FGTS os trabalhadores enquadrados nas situações abaixo:

• Detentor de fração ideal igual ou inferior à 40%;

• Propriedade de fração ideal do mesmo imóvel concluído;

• Separado judicialmente e que tenha perdido o direito de residir no imóvel de sua propriedade;

• Usufrutuário se renunciar expressamente a essa condição;

• Nu-Proprietário exclusivamente para aquisição de outro imóvel;

• Venda e compra simultânea.

 

Sobre o imóvel

 

Destinação

Deve destinar-se, obrigatoriamente, a instalação de residência do proponente, cujos recursos estão sendo utilizados.

 

Localização

 

O imóvel a ser adquirido deve estar situado em uma das seguintes localidades:

• No município onde o proponente exerça a sua ocupação principal, ou em município limítrofe ou integrante da respectiva região metropolitana;

• No município em que o proponente comprovar que já reside há pelo menos um ano.

 

 

 

Minha Casa, Minha Vida

 

 

 

MINHA CASA MINHA VIDA

 

 

 

 

Por que o Governo criou esse programa?

 

O Programa Minha Casa, Minha Vida foi criado para diminuir a falta de casas para os brasileiros, chamada de déficit de moradia ou déficit habitacional. Com o programa, a população vai ter ainda mais acesso a casa própria, e serão gerados mais empregos e renda para os brasileiros.

 

Quantas casas vão ser construídas?

 

Serão construídas 1 milhão de moradias, com um investimento de R$ 34 bilhões.

 

Quem vai poder fazer o financiamento?

 

As famílias que ganham até 10 salários mínimos (R$ 5.100,00 em 2010).

 

Quais são as faixas de financiamento?

 

O Governo Federal e a Caixa prepararam 3 faixas de financiamento da casa própria, de acordo com o valor da renda familiar:

 

• Renda Familiar de 0 a 3 salários mínimos (até R$ 1.530,00)

• Renda Familiar de 3 a 6 salários mínimos (de R$ 1.530,00 a R$ 3.060,00)

• Renda Familiar de 6 a 10 salários mínimos (de R$ 3.060,00 a R$ R$ 5.100,00)

 

Quem tem renda familiar acima de 10 salários mínimos (mais de R$ 5.100,00) não vai poder financiar?

 

Vai, sim. As famílias desta faixa de renda não estão contempladas no Programa Minha Casa, Minha Vida, mas também ganharam vantagens:

 

• Quem tem Renda Familiar maior que 10 salários mínimos vai poder financiar imóveis de até R$ 350.000,00

• O FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) vai poder ser usado para financiamento de casas ou apartamentos de até R$ 500.000,00.

 

Por que tem essa separação por faixa de renda?

 

O Programa Minha Casa, Minha Vida separou os financiamentos por faixas de renda para facilitar a vida de todos, independente de quanto ganham. Afinal, todo brasileiro que trabalha e batalha o dia-a-dia merece ter a sua casa.

 

O que é Renda Familiar?

 

É uma conta bem simples. Você chega ao valor total da Renda Familiar, juntando o valor dos salários de quem trabalha na família: marido, esposa e filhos. Por exemplo:

 

> Marido ganha R$ 1,020,00

+ Esposa ganha R$ 510,00

= Renda Familiar de R$ 1.530,00

 

 

FONTE: Caixa Econômica Federal

Garra Comunicação

SYERRA - Construtora e Incorporadora, LTDA
Avenida Presidente Epitácio Pessoa, 2515, Sala 101
Bairro dos Estados - CEP.: 58030-000
João Pessoa - Paraíba - Brasil